21 de janeiro de 2015

Moqueca de Peixe Revisitada

Meu pai adaptou uma receita de moqueca que ele faz como ninguém, para um prato mais leve, somente de peixe, e finalizado no forno. Fizemos juntos esta receita na casa de nossos amigos Ana e Ary, na praia da Baleia, no réveillon de 2015.

Ingredientes para 6 pessoas

- 1 robalo de cerca de 2,5 kg, limpo e cortado em filés

- 2 cebolas grandes picadas

- 1 alho porró picado

- ½ kg de tomates, cortados em cubos e sem sementes

- 1 vidro de leite de coco

- 1 colher de sopa de azeite de dendê para a farofa

- 4 limões

- 1 xícara de salsinha picada

- 1 xícara de coentro picado para servir a parte

- Farofa de Mandioca refogada com alho, azeite e óleo de dendê

- Arroz branco

Cortar o peixe em tiras diagonais de cerca de 6/8 cm, dependendo da espessura do peixe. Temperar com sal, pimenta e limão. Refogar numa caçarola com azeite  e óleo de dendê a cebola, o alho porró, e em seguida os tomates, por cerca de 15 min. Colocar o leite de coco e o suco de 1 limão, a salsinha picada e acertar sal/pimenta. Colocar um pouco de água, se necessário, e reduzir até ficar um molho relativamente homogêneo. Reservar.

Colocar em pratos refratários um pouco do molho, colocar o peixe e cobrir com amais molho, levando ao forno pré-aquecido a 180C. Assar por cerca de 20 minutos, ou até o peixe ficar firme. É importante não passar do ponto, deixando o peixe muito duro.


Servir com farofa de dendê (ver receita em “Moqueca do Mi”), arroz branco e coentro picado, para quem curte. Uso sempre Farofa Deusa.

19 de janeiro de 2015

Notas de Roma


Roma é uma festa para os paladares, com comidas simples e sempre muito saborosas. Os vinhos, também, são sempre uma atração a parte. Fomos com nossos filhos e ficamos 5 dias, mas indo embora com dor no coração.

Otello – restaurante muito simples e muito bom, onde fomos almoçar logo que chegamos em roma. Comi um cordeiro assado no forno, e a Pat, uma ótima massa ao sugo. Recomendo também a Vitela milanesa, que meu filho comeu inteira.

I Due Ladroni – restaurante de frutos do mar, comida realmente ótima. Fomos à noite, não estava muito cheio. Comi uma massa com pequenos polvinhos, excelente. Pena que não deu para pedir mais pratos, tudo parece bom.

Piperno – Restaurante na “Juderia”, uma bairro onde se concentravam os judeus da cidade (se der tempo valo visitar a sinagoga).  Tem uma famosa Alcachofra a la Judia, e um carbonara excelente (foto). O lugar parece ser uma unanimidade, quase todos que pedi dicas, entreitalianos e brasileiros, indicaram o Piperno.

Nino – Tradicional, caseiro, pertinho da Piazza di Spagna, minha mão sempre vai lá. Ótimo para almoçar, apesar de termos ido a noite e ele estar bem cheio.

Dal Moro – cara de cantina, mas com boa comida, também boa opção para almoço.

Hostaria da Pietro- comemos muito bem lá, serviço muito atencioso. Espaguete ao Vongole excelente, flor de zuca, alcachofra, massas boas, gostamos muito. Diria que foi um dos meus favoritos.

Giolitti – Sorvete famoso, filas sempre grandes. Varias opções de sorvetes sem lactose.

25 de novembro de 2014

Cocada de Forno da Joyce

Comemos esta receita pela primeira vez na casa de minha Tia Dora, no aniversário dela, e adoramos.

Ingredientes:

- 1 coco ralado fresco ( 300 gramas)

- 500 ml de água de coco

- 2 colheres de sopa de manteiga

- 3 xícaras de açúcar cristal

- 3 ovos

Em uma panela coloque a água de coco com o açúcar e deixe ferver até formar uma calda em ponto de fio grossa. Após acrescente o coco e manteiga e mexa bem. Desligue o forno e transfira para um refratário untado e forrado com papel manteiga também untado. Leve ao forno alto a 200 graus por aproximadamente 50 minutos ou até estar bem dourada.
Corte e sirva em pedaços acompanhada com uma bola de sorvete da sua preferência.

Bolo de Maracujá sem Leite

Fomos no feriado para a Fazenda Catuçaba, que é um lugar incrível, muito charmoso, e que tem uma comida bem tipica da fazenda. Na hora do chá, descobri um bolo de maracujá feito sem leite, que comi o feriado todo, muito bom. Acabei resolvendo ligar pra lá apos alguns dias, para pegar a receita.

Ingredientes:

- 1 copo de suco de maracujá batido com sementes e depois coado

- 1 xícara de açúcar

- 2 ovos

- 1 xícara de farinha de trigo

- 1/2 xícara de óleo

- 1 colher de sopa rasa de Fermento Royal

Bater os ingredientes no liquidificador, a exceção da farinha e do fermento. Quanto estiver bem homogêneo, acrescentar a farinha. Incorporar o fermento por último. Colocar no forno em uma forma untada por 30 a 40 min, dependendo do forno.

31 de julho de 2014

Notas de Londres 2



Após 15 dias em Londres, além de revisitar alguns de nossos lugares favoritos e ver como continuam ótimos, conseguimos explorar e descobrir alguns lugares que entram daqui para frente em nossos roteiros da cidade. Desta vez fomos com nossos filhos, que nos acompanharam em todos os lugares, o que nunca foi um problema pois Londres é sem dúvida o lugar mais “child friendly” que eu conheço. Sempre educados, sempre tentando facilitar e agradar. Poderíamos ter ficado lá fácil mais 15 dias...

Pela ordem do que mais curti desta vez:

The Ivy – Já havíamos ido lá da outra vez, e estava novamente excelente. Lugar muito tradicional, do Theater District, e aberto sempre até tarde. Chegamos 11h e jantamos muito bem. Comi vieiras, e a Pat, o famoso Sheppard’s Pie. Hamburger também muito bom. Boa variedade de maltes no bar.

La Petite Maison – Restaurante muito badalado, com comida excelente, em Mayfair. Comi um cordeiro incrível, e varias entradinhas, todas ótimas.


River Café – Outro de nossos favoritos. Ótimo Negrone para começar, e uma comida super simples e com muito sabor.


La Famiglia – Uma surpresa ótima, italiano bem casual mas com uma comida excelente. Comi um risoto de lulas e acabei comento o meu e o do meu filho, e fiquei com vontade de voltar no final da viagem.

The Magazine – Restaurante com viés japonês em uma das galerias Serpentine (Sackler), no Kensington Park. Projeto lindo da Zaha Hadid, programa ótimo para o almoço.

Comptoir Libannais – uma rede que não conhecíamos e descobrimos por acaso, comida muito boa e lugar muito animado. Uma perto da Saatchi, outra ao lado da estação South Kengsinton.

Bluebird Café  - Lugar bem legal com loja, café ao ar livre e mercadinho, na Kings Road. Bom hambúrguer e boas saladas, bem legal.

Portobello – Pizzaria pequenininha em Notting Hill. Servem pizza por metro, bem diferente.

Outras coisas que não podem deixar de aparecer na lista:

Café e Doces do V&A – A comida na verdade não é boa, mas o jardim interno e os doces, café, tudo é incrível no Victoria& Albert. Sem duvida um dos meus lugares favoritos em Londres.

Café Lido – Um dos lugares mais charmosos pra tomar um café ou uma taça de vinho no Hyde Park, de frente pro lado. Servem café da manhã.

Borough Market  - Lugar que todos acabam indo e com 1000 opções de barraquinhas com comidas típicas, muito legal pra ir almoçar.

Patisserie des Rêves - Filial da francesa, com um Saint Honoré imperdível. Perto da estação South Kensington.


Harrods – “Food court” incrível, vale a pena experimentar algumas das opções num almoço e comprar algumas comidas também.






29 de julho de 2014

Gravlax


Esta é uma receita muito versátil, e uma vez feita pode ficar vários dias na geladeira. Esta versão foi feita pela tia da Pat, que se inspirou no Gravlax feito pelo Jamie Oliver.

Ingredientes:

- Um pedaço de salmão com ou sem pele de 400 g

- 8 colheres de sopa de sal grosso

- 6 colheres de sopa de açúcar mascavo ou similar

- 1 xicara de dill picado

- 1 beterraba ralada

- Zest de 1 limão siciliano

- Suco de 1 limão siciliano

- 1 xicara de creme azedo (opcional)


Misturar numa travessa o sal, o açúcar e o dill. Colocar um pouco da mistura num refratário, e colocar o salmão por cima. Cobrir com a beterraba e o zest de limão. Colocar um filme e cobrir com algum peso (a tia da Pat não coloca o peso). Deixar na geladeira entre 24 e 48 h (testamos com 24 e ficou excelente).  Retirar da geladeira e tirar o sal e temperos. Fatiar bem fino e regar com azeite. Servir com pão e um molho de creme azedo, dill e limão siciliano. Para guardar, cobrir com filme (antes de cortar)

Shakshuka


Comemos este prato na casa do Rio dos tios da Pat que moram em de Israel, e de acordo com eles esta é uma das receitas mais típicas e apreciadas do país.
Ingredientes

- 1 cebola grande cortada em rodelas

- 1 tomate caqui cortado em rodelas grossas

- 1 xicara de pasta de tomate de boa qualidade

- 2 ovos por pessoa

- 1 pitada de páprica doce

- Uma pitada de cominho em pó

- Sal e pimenta a gosto


Refogar a cebola até ficar transparente, cerca de 5 minutos. Colocar as rodelas de tomate espalhado pela panela, e colocar a polpa de tomate. Deixa cozinhar por mais cerca de 20 minutos. Colocar o cominho e quebrar os ovos com cuidado sobre a pasta de tomate, até que a clara fique firme. Colocar por cima a páprica e servir.

Arroz de Polvo



Esta é uma receita adaptada de um polvo que meu sogro fez nas férias no Rio, e que ficou com um caldo espetacular, que usamos num risoto de camarão, muito bom.

Ingredientes

- 1 polvo de cerca de 2kg

- 2 xícaras de arroz Carolino ou Basmati

- 2 cebolas, uma picada e outra cortada ao meio

- 5 folhas de louro

- 1 alho porro cortado ao meio

- Uma pitada de açafrão

- 1 cubo de caldo de vegetais

- Uma taça de vinho branco

- Meia xícara de salsinha picada

- Uma xícara de tomates sem sementes picados em cubos

- Coentro picado para servir a parte

Ferver cerca de 2 litros de água numa panela de pressão, sem sal. Quando estiver fervendo (aberta), colocar o polvo e deixar 1 minuto. Retirar e aguardar a água ferver novamente. Repetia a operação, e retirar o polvo novamente.

Quando a agua ferver novamente,  colocar na panela a cebola, o louro, o alho porro e duas colheres de sopa de sal. Colocar o polvo e fechar a panela de pressão, deixando no fogo por mais 10 a 11 minutos. Retirar do fogo, e retirar a pressão. Colocar na água fria da torneira antes de abria a panela. Retirar o polvo e reservar. Quando esfriar, cortar em pedaços médios. Coar e colocar em outra panela o caldo da fervura, com o cubo de caldo de vegetais, mantendo-o no fogo. Acertar sal e pimenta do caldo.

Numa outra panela, refogar a cebola picada com azeite. Quando estiver dourado, colocar o arroz e “fritar” por alguns instantes. Colocar o vinho e mexer. Colocar o açafrão e mexer. Ir dali para frente colocando de concha em concha o caldo de polvo mexendo sempre. Quando estiver quase ao dente, colocar o polvo, o tomate e a salsinha, mexer por mais um ou dois minutos, e retirar do fogo. Colocar mais azeite e misturar. Descansar com a panela fechada por mais um minuto antes de servir, com o coentro a parte para quem gosta.

13 de maio de 2014

Notas de Paris

Fomos a Paris agora em maio para celebrar nossos 10 anos de casados, e experimentamos tanto algumas coisas novas como alguns de nossos favoritos. A cidade realmente oferece muito, mas é preciso garimpar bastante para encontrar coisas realmente fora do padrão. Ficamos em Saint Germain, num hotel que adoramos (Bel- Ami), que facilitou muito as coisas, pois muito do que fizemos era “walking distance”.

La Dame de Pic  (http://ladamedepic.fr/) Casa em Paris da chef Anne-Sophie Pic, que até a ultima edição da revista Restaurant ocupava o primeiro lugar entre as chefs mulheres (na ultima edição nossa Helena Rizzo a desbancou). Lugar muito lindo, comida fenomenal, alguns cardápios fixos para escolher.Comemos Cabrito como prato principal, incrível (foto). Fomos celebrar nosso aniversário, gostamos muito.





Arpège  (http://www.alain-passard.com/) – Fomos lá da outra vez que estivemos em Paris, e acabamos não indo desta vez, mas para quem quer se aventurar em um 3 estrelas Michelin (e pagar por isso!!) não pode perder este restaurante do chef Alain Passard. Lugar moderno, comida fenomenal, com quase tudo criado e cultivado por eles mesmos. Uma experiência única.

Zé Kitchen (http://www.zekitchengalerie.fr/) – este é sem duvida nosso favorito em Paris, e já fomos lá algumas vezes, uma inclusive com nossos filhos ano passado, e a experiência é sempre incrível. O chef William Ledeuil  faz uma mistura de comida asiática e francesa, num menu degustação (como é o caso dos dois anteriores, a proposito). Fica no 6º arrondissement, pertinho de nosso hotel. Imperdível.




Spring (http://www.springparis.fr/) – restaurante do chef Americano Daniel Rose, que já havíamos ido da outra vez e voltamos. Muito bonito, comida muito boa e serviço excelente. Menu degustação.

L’Epi Dupain (http://www.epidupin.com/fr/index.php)  – Bistro muito simpático perto do Bon Marche, com comida excelente e bem autentico. Algumas boas opções de pratos (chega uma hora que cansamos de menus degustação). Comi Foi Gras de Monkfish e bochechas de porco (fotos abaixo), mas tem muitos pratos bem mais tradicionais. Recomendamos muito.




Bar des Theatres (http://www.bardestheatres.fr/)  – Pequeno bistrô perto da Avenue Montaigne, que sem dúvida faz o melhor steak tartar que já comi, ótimo programa para o almoço. Há alguns anos eles se mudaram da Av. Montaigne para a rua de trás, em minha opinião ficou ainda mais legal que o original.




L’As du Fallafel -  no Marais, Rue de Rosiers, realmente uma experiência, sempre tem longas filas. Vale experimentar também o Shawarma.

Brasserie Le Stella – Fica na Avenida Victor Hugo, relativamente perto de um museu lindo chamado Marmottan – Monet (http://www.marmottan.fr/) .  Super tradicional, comida ótima e boas ostras. Ótimo programa para o almoço. A Pat comeu um Haddock ótimo.



Outras coisas que adoramos comer em Paris:

- Montblanc do Angelina

- Chocolate quente do Ladurée

- Manoush, de uma barraquinha perto do Pompidou, ou da feirinha de rua (muito legal) que tem quartas feiras de manhã na frente do Palais de Tokyo.

- Pâte de Fruits do Hediard

- Coisas pra comprar e trazer da “La Grande Épicerie” do Bon Marche Rive Gauche, que acabou de ser reformado e ficou ainda mais incrível, um templo de gastronomia.

10 de março de 2014

Hamburger de Fraldinha

Somos todos em casa fãs de fraldinha, e eventualmente faço hambúrgueres moendo a carne com um resultado muito bom, como foi o caso neste final de semana na casa de meu irmão na praia, onde todos comeram muito, em especial meus filhos e sobrinhas.

Ingredientes

- 1,5 kg de fraldinha sem gordura moída 2 vezes
- 1 cebola grande, picada pequena e refogada com azeite
- 1 colher de chá de cuminho moído
- 1 colher de chá de semente de erva doce
- 1 ovo
- 1,5 colher de sopa de farinha de rosca
- Sal moído e pimenta branca moída a gosto

Misturar os ingredientes. fazer bolas do tamanho desejado e amassar para ficar do tamanho aproximado do pão. Grelhar na churrasqueira, de preferencia, ou numa panela Tfal, testando a consistência para não errar no ponto do hambúrguer.