31 de julho de 2014

Notas de Londres 2



Após 15 dias em Londres, além de revisitar alguns de nossos lugares favoritos e ver como continuam ótimos, conseguimos explorar e descobrir alguns lugares que entram daqui para frente em nossos roteiros da cidade. Desta vez fomos com nossos filhos, que nos acompanharam em todos os lugares, o que nunca foi um problema pois Londres é sem dúvida o lugar mais “child friendly” que eu conheço. Sempre educados, sempre tentando facilitar e agradar. Poderíamos ter ficado lá fácil mais 15 dias...

Pela ordem do que mais curti desta vez:

The Ivy – Já havíamos ido lá da outra vez, e estava novamente excelente. Lugar muito tradicional, do Theater District, e aberto sempre até tarde. Chegamos 11h e jantamos muito bem. Comi vieiras, e a Pat, o famoso Sheppard’s Pie. Hamburger também muito bom. Boa variedade de maltes no bar.

La Petite Maison – Restaurante muito badalado, com comida excelente, em Mayfair. Comi um cordeiro incrível, e varias entradinhas, todas ótimas.


River Café – Outro de nossos favoritos. Ótimo Negrone para começar, e uma comida super simples e com muito sabor.


La Famiglia – Uma surpresa ótima, italiano bem casual mas com uma comida excelente. Comi um risoto de lulas e acabei comento o meu e o do meu filho, e fiquei com vontade de voltar no final da viagem.

The Magazine – Restaurante com viés japonês em uma das galerias Serpentine (Sackler), no Kensington Park. Projeto lindo da Zaha Hadid, programa ótimo para o almoço.

Comptoir Libannais – uma rede que não conhecíamos e descobrimos por acaso, comida muito boa e lugar muito animado. Uma perto da Saatchi, outra ao lado da estação South Kengsinton.

Bluebird Café  - Lugar bem legal com loja, café ao ar livre e mercadinho, na Kings Road. Bom hambúrguer e boas saladas, bem legal.

Portobello – Pizzaria pequenininha em Notting Hill. Servem pizza por metro, bem diferente.

Outras coisas que não podem deixar de aparecer na lista:

Café e Doces do V&A – A comida na verdade não é boa, mas o jardim interno e os doces, café, tudo é incrível no Victoria& Albert. Sem duvida um dos meus lugares favoritos em Londres.

Café Lido – Um dos lugares mais charmosos pra tomar um café ou uma taça de vinho no Hyde Park, de frente pro lado. Servem café da manhã.

Borough Market  - Lugar que todos acabam indo e com 1000 opções de barraquinhas com comidas típicas, muito legal pra ir almoçar.

Patisserie des Rêves - Filial da francesa, com um Saint Honoré imperdível. Perto da estação South Kensington.


Harrods – “Food court” incrível, vale a pena experimentar algumas das opções num almoço e comprar algumas comidas também.






29 de julho de 2014

Gravlax


Esta é uma receita muito versátil, e uma vez feita pode ficar vários dias na geladeira. Esta versão foi feita pela tia da Pat, que se inspirou no Gravlax feito pelo Jamie Oliver.

Ingredientes:

- Um pedaço de salmão com ou sem pele de 400 g

- 8 colheres de sopa de sal grosso

- 6 colheres de sopa de açúcar mascavo ou similar

- 1 xicara de dill picado

- 1 beterraba ralada

- Zest de 1 limão siciliano

- Suco de 1 limão siciliano

- 1 xicara de creme azedo (opcional)


Misturar numa travessa o sal, o açúcar e o dill. Colocar um pouco da mistura num refratário, e colocar o salmão por cima. Cobrir com a beterraba e o zest de limão. Colocar um filme e cobrir com algum peso (a tia da Pat não coloca o peso). Deixar na geladeira entre 24 e 48 h (testamos com 24 e ficou excelente).  Retirar da geladeira e tirar o sal e temperos. Fatiar bem fino e regar com azeite. Servir com pão e um molho de creme azedo, dill e limão siciliano. Para guardar, cobrir com filme (antes de cortar)

Shakshuka


Comemos este prato na casa do Rio dos tios da Pat que moram em de Israel, e de acordo com eles esta é uma das receitas mais típicas e apreciadas do país.
Ingredientes

- 1 cebola grande cortada em rodelas

- 1 tomate caqui cortado em rodelas grossas

- 1 xicara de pasta de tomate de boa qualidade

- 2 ovos por pessoa

- 1 pitada de páprica doce

- Uma pitada de cominho em pó

- Sal e pimenta a gosto


Refogar a cebola até ficar transparente, cerca de 5 minutos. Colocar as rodelas de tomate espalhado pela panela, e colocar a polpa de tomate. Deixa cozinhar por mais cerca de 20 minutos. Colocar o cominho e quebrar os ovos com cuidado sobre a pasta de tomate, até que a clara fique firme. Colocar por cima a páprica e servir.

Arroz de Polvo



Esta é uma receita adaptada de um polvo que meu sogro fez nas férias no Rio, e que ficou com um caldo espetacular, que usamos num risoto de camarão, muito bom.

Ingredientes

- 1 polvo de cerca de 2kg

- 2 xícaras de arroz Carolino ou Basmati

- 2 cebolas, uma picada e outra cortada ao meio

- 5 folhas de louro

- 1 alho porro cortado ao meio

- Uma pitada de açafrão

- 1 cubo de caldo de vegetais

- Uma taça de vinho branco

- Meia xícara de salsinha picada

- Uma xícara de tomates sem sementes picados em cubos

- Coentro picado para servir a parte

Ferver cerca de 2 litros de água numa panela de pressão, sem sal. Quando estiver fervendo (aberta), colocar o polvo e deixar 1 minuto. Retirar e aguardar a água ferver novamente. Repetia a operação, e retirar o polvo novamente.

Quando a agua ferver novamente,  colocar na panela a cebola, o louro, o alho porro e duas colheres de sopa de sal. Colocar o polvo e fechar a panela de pressão, deixando no fogo por mais 10 a 11 minutos. Retirar do fogo, e retirar a pressão. Colocar na água fria da torneira antes de abria a panela. Retirar o polvo e reservar. Quando esfriar, cortar em pedaços médios. Coar e colocar em outra panela o caldo da fervura, com o cubo de caldo de vegetais, mantendo-o no fogo. Acertar sal e pimenta do caldo.

Numa outra panela, refogar a cebola picada com azeite. Quando estiver dourado, colocar o arroz e “fritar” por alguns instantes. Colocar o vinho e mexer. Colocar o açafrão e mexer. Ir dali para frente colocando de concha em concha o caldo de polvo mexendo sempre. Quando estiver quase ao dente, colocar o polvo, o tomate e a salsinha, mexer por mais um ou dois minutos, e retirar do fogo. Colocar mais azeite e misturar. Descansar com a panela fechada por mais um minuto antes de servir, com o coentro a parte para quem gosta.

13 de maio de 2014

Notas de Paris

Fomos a Paris agora em maio para celebrar nossos 10 anos de casados, e experimentamos tanto algumas coisas novas como alguns de nossos favoritos. A cidade realmente oferece muito, mas é preciso garimpar bastante para encontrar coisas realmente fora do padrão. Ficamos em Saint Germain, num hotel que adoramos (Bel- Ami), que facilitou muito as coisas, pois muito do que fizemos era “walking distance”.

La Dame de Pic  (http://ladamedepic.fr/) Casa em Paris da chef Anne-Sophie Pic, que até a ultima edição da revista Restaurant ocupava o primeiro lugar entre as chefs mulheres (na ultima edição nossa Helena Rizzo a desbancou). Lugar muito lindo, comida fenomenal, alguns cardápios fixos para escolher.Comemos Cabrito como prato principal, incrível (foto). Fomos celebrar nosso aniversário, gostamos muito.





Arpège  (http://www.alain-passard.com/) – Fomos lá da outra vez que estivemos em Paris, e acabamos não indo desta vez, mas para quem quer se aventurar em um 3 estrelas Michelin (e pagar por isso!!) não pode perder este restaurante do chef Alain Passard. Lugar moderno, comida fenomenal, com quase tudo criado e cultivado por eles mesmos. Uma experiência única.

Zé Kitchen (http://www.zekitchengalerie.fr/) – este é sem duvida nosso favorito em Paris, e já fomos lá algumas vezes, uma inclusive com nossos filhos ano passado, e a experiência é sempre incrível. O chef William Ledeuil  faz uma mistura de comida asiática e francesa, num menu degustação (como é o caso dos dois anteriores, a proposito). Fica no 6º arrondissement, pertinho de nosso hotel. Imperdível.




Spring (http://www.springparis.fr/) – restaurante do chef Americano Daniel Rose, que já havíamos ido da outra vez e voltamos. Muito bonito, comida muito boa e serviço excelente. Menu degustação.

L’Epi Dupain (http://www.epidupin.com/fr/index.php)  – Bistro muito simpático perto do Bon Marche, com comida excelente e bem autentico. Algumas boas opções de pratos (chega uma hora que cansamos de menus degustação). Comi Foi Gras de Monkfish e bochechas de porco (fotos abaixo), mas tem muitos pratos bem mais tradicionais. Recomendamos muito.




Bar des Theatres (http://www.bardestheatres.fr/)  – Pequeno bistrô perto da Avenue Montaigne, que sem dúvida faz o melhor steak tartar que já comi, ótimo programa para o almoço. Há alguns anos eles se mudaram da Av. Montaigne para a rua de trás, em minha opinião ficou ainda mais legal que o original.




L’As du Fallafel -  no Marais, Rue de Rosiers, realmente uma experiência, sempre tem longas filas. Vale experimentar também o Shawarma.

Brasserie Le Stella – Fica na Avenida Victor Hugo, relativamente perto de um museu lindo chamado Marmottan – Monet (http://www.marmottan.fr/) .  Super tradicional, comida ótima e boas ostras. Ótimo programa para o almoço. A Pat comeu um Haddock ótimo.



Outras coisas que adoramos comer em Paris:

- Montblanc do Angelina

- Chocolate quente do Ladurée

- Manoush, de uma barraquinha perto do Pompidou, ou da feirinha de rua (muito legal) que tem quartas feiras de manhã na frente do Palais de Tokyo.

- Pâte de Fruits do Hediard

- Coisas pra comprar e trazer da “La Grande Épicerie” do Bon Marche Rive Gauche, que acabou de ser reformado e ficou ainda mais incrível, um templo de gastronomia.

10 de março de 2014

Hamburger de Fraldinha

Somos todos em casa fãs de fraldinha, e eventualmente faço hambúrgueres moendo a carne com um resultado muito bom, como foi o caso neste final de semana na casa de meu irmão na praia, onde todos comeram muito, em especial meus filhos e sobrinhas.

Ingredientes

- 1,5 kg de fraldinha sem gordura moída 2 vezes
- 1 cebola grande, picada pequena e refogada com azeite
- 1 colher de chá de cuminho moído
- 1 colher de chá de semente de erva doce
- 1 ovo
- 1,5 colher de sopa de farinha de rosca
- Sal moído e pimenta branca moída a gosto

Misturar os ingredientes. fazer bolas do tamanho desejado e amassar para ficar do tamanho aproximado do pão. Grelhar na churrasqueira, de preferencia, ou numa panela Tfal, testando a consistência para não errar no ponto do hambúrguer.

6 de março de 2014

Sopa de Alcachofra

Esta é uma receita de sopa desenvolvida por meu pai e que é muito simples de fazer e muito boa. O segredo é fazer um caldo de legumes em casa, que em si dá um certo trabalho, mas que vale a pena.

Ingredientes

- 1 litro de caldo de legumes
- 1 xícara de alho porro picado
- 1 saco de alcachofras congeladas Bonduelle
- Tomilho para decorar

Refogar o alho porro picado com azeite, colocar as alcachofras e levar ao caldo fervendo. Deixar cozinhar alguns minutos, até a alcachofra ficar firme. retirar do fogo. Separar uma alcachofra para cada prato, e levar o restante ao processador, até formar uma mistura homogênea. Servir com o fundo de alcachofra e alguns galhos de tomilho para decorar.

Torta de Manga do Julio

Comemos esta torta na casa de nossos amigos Julio e Claudia em Teresópolis, e adoramos:

Ingredientes:

Massa
- 270 gramas de farinha de trigo
- 3 colheres de sopa de açúcar
- ¼ colher de chá de sal
- 180 gramas de manteiga sem sal gelada cortada em cubinhos
- 3 colheres de sopa de água gelada

Misture o sal, a farinha e o açúcar. Ponha no processador e junte a manteiga. Bata até formar uma farofa. Ponha a água, colher por colher até forma uma bola. Embrulhe no filme plástico e ponha para descansar na geladeira por pelo menos 30 minutos. 

Pré-aqueça o forno a 180 graus. Abra a massa e forre com ela uma forma de fundo removível de 30 cm de diâmetro. Deixe a massa aberta na geladeira por uns 15 min antes de ir ao forno. Com um garfo fure toda a base da massa e leve ao forno por 25 minutos ou até a massa ficar bem dourada. Retire do forno e deixe esfriar.

Recheio
- 5-6 mangas Haden ou Palmer, bem maduras
- 3-4 colheres de sopa de suco de limão
- 3-4 colheres de sopa de água
- ¾ xícara de açúcar

Corte cubinhos de manga suficientes para cobrir a massa já assada e fria com 1 camada bem compacta de manga

Junte o restante das mangas picadas ao limão, água e açúcar e leve ao fogo numa panela. Ferva por 10 minutos em fogo baixo. Tire, bata no processador e retorne à panela juntando 3-4 colheres de sopa de maisena dissolvidas em  água.  Leve ao forno baixo até engrossar. Espalhe essa “geléia” ainda morna por cima da torta, deixe esfriar e ponha na geladeira por 1 dia antes de servir (ou no mínimo na noite anterior)

Okonomiyaki

Nosso amigo Julio fez este prato para nós em Teresópolis, numa versão com lagostins, incrível. Aparentemente é um prato tradicional japonês, encontrado na liberdade como "pizza japonesa". Somente lá ele é feito na chapa, e os ingredientes podem varia bastante, a gosto do fregues. Fiz aqui uma versão vegetariana:

Ingredientes

- 4 xícaras de abobora cozidas no vapor
- 200 g de farinha (1/3 fécula de mandioca 2/3 farinha de trigo)
- 2 ovos
- 2 xícaras de repolho picado 
- 1 xícara de cebolinha picada
- 2 xícaras de shimeji picado
- 2 xícaras de shitake picado grande
- 160 ml de água morna
- 1 pacote de hondashi
- 1/2 xícara de alga picada
- Molho Konkatsu para servir

Misturar a água com um pacote de hondashi. Misturar com a farinha até incorporar. incorporar a abobora bem amassada ate formar uma pasta homogênea. Misturar a seguir o repolho picado, a cebolinha, os ovos batidos, a alga, o shimeji e o shitake, incorporando bem todos os ingredientes. Acertar sal e pimenta.

Com duas frigideiras altas de tefal, ir cozinhando a massa de ambos os lados, virando de uma frigideira para outra, por cerca de 20 minutos até tomar uma consistencia firme. Servir com molho Konkatsu.

5 de dezembro de 2013

Canja de Alcachofra


Adoro canja, e como temos tentado fazer um cardápio vegetariano a noite, pensei nesta variação, que ficou incrível.

Ingredientes:

- 1 coxa e sobrecoxa de frango sem pele
- 1 saco de alcachofras congeladas Bonduelle
- 1 cebola
- 1 pedaço de salsão (aipo) inteiro
- 1 xícara de cenoura picada em cubinhos
- 1 xícara de batata picada em cubinhos
- Salsinha a gosto para decorar

a receita é bem simples, só leva algum tempo para ficar pronta. Inicialmente, refogamos em uma panela funda o frango com uma cebola cortada em pedaços grandes.até dourar. Colocar até cobrir 2/3 da panela de água e cozinhar por cerca de 1 hora. Coar o caldo, e levá-lo de volta à panela, colocando inicialmente a cenoura e o salsão (como a pat não gosta, coloco o salsão inteiro e depois retiro). Apos 10 minutos, colocar a batata e o arroz (uso basmati). Cozinhar por mais 10 minutos. Finalmente, colocar a alcachofra congelada cortada em pedaços e cozinhar até ficar no ponto desejado. Colocar salsinha nos últimos minutos de cozimento. Acertar o sal e servir bem quente.